By

tropicosolar

O Atlas Solarimétrico do Brasil demonstra que a radiação solar diária no Brasil varia entre 8 e 22 MJ/ano, dependendo da época do ano. O alto índice de radiação prova que o recurso solar possui alto potencial para ser utilizado. Portanto, a utilização de energia solar fotovoltaica para geração de energia elétrica aponta para essa tecnologia em particular como tendo uma vantagem de custo devido ao alto grau de incidência solar.
Além das condições climáticas, desde 2016 com a resolução 687 do ANEEL, o país conta com legislação favorável ao setor solar.
O uso de aplicações de energia solar está de acordo com os objetivos do Plano Nacional sobre Mudança do Clima. O Plano engloba uma série de ações e medidas já em curso ou em fase de elaboração com o objetivo de combater o aquecimento global. A intenção é que as energias renováveis continuem a ter uma grande parcela da matriz elétrica.

Cada vez mais investimentos estão sendo feitos em fontes de energia renováveis como a energia solar. O Estado do Piauí tem se destacado nos últimos anos por estar atraindo investimentos nesse setor de energia limpa, como por exemplo, a energia eólica e agora com a energia solar. Em 2015, a Enel Green Power Brasil Participações Ltda. ficou responsável pela construção do Parque Solar Nova Olinda no Estado do Piauí.

Com capacidade de 600 GWh/ano, suficiente para abastecer uma pequena cidade, a usina foi construída na cidade de Ribeira do Piauí, que fica a quase 400 km da capital Teresina.

Fonte: Folha de São Paulo https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1938898-enel-inaugura-no-piaui-maior-usina-solar-do-pais.shtml

O ponto de partida para o desenvolvimento do mercado fotovoltaico mundial foi na Alemanha. Em 1990, o governo federal lançou o programa de 1.000 telhados. Com o fim deste programa em 1992, o desenvolvimento da energia fotovoltaica foi temporariamente interrompido.
O governo japonês usou o programa alemão de 1.000 telhados como um plano para lançar o maior programa nacional de financiamento até a década de 1990. Nos anos que se seguiram, o Japão tornou-se o maior mercado fotovoltaico do mundo, onde uma forte indústria fotovoltaica com alguns players globais foi capaz de se estabelecer.
Em 1999, a Alemanha retornou com o Programa de 100000 Telhados e da remuneração sob a Lei de Energias Renováveis, para um crescimento do mercado dinâmico e forte economia, para retomar o primeiro lugar na utilização da tecnologia.
Com o abrandamento do mercado fotovoltaico na Europa, desde 2011 através de ajustes no ambiente político, os principais mercados e a produção fotovoltaica mudaram cada vez mais para a Ásia. Os maiores produtores de equipamentos para o ramo solar são atualmente a China, os EUA, o Japão, a Índia e a Grã-Bretanha.

Fonte: www.solarbranche.de

Leia mais…

Bem vindo ao Blog Solar, este é o nosso primeiro post. Aqui você saberá tudo sobre o mercado de energia fotovoltaica no Brasil e no mundo.